Comboio para Coimbra: horários, preços e bilhetes

Coimbra, ponto nevrálgico da Beira Litoral, fica situada nas margens do Mondego. Terra de tradição universitária, tem duas personalidades distintas: a progressista - iluminada e inconformada, que vive à beira da descoberta e da revolução - e a tradicional - que vive pacatamente ao ritmo das estações, das feiras, e assiste complacente ao passar do tempo. Sede da mais antiga universidade de Portugal, alberga a Biblioteca Joanina, expoente do barroco e uma das mais ricas bibliotecas europeias. Coimbra é nostalgia. Nas palavras de Camões: "Vede que fresca fonte rega as flores/Que lágrimas são a água e o nome amores”. Palco de uma das mais belas e trágicas histórias de amor da história, a Quinta das Lágrimas permanece, testemunho lírico da devoção eterna de D. Pedro I por Inês de Castro que "depois de ser morta foi Rainha". Tem serviço ferroviário pelo Alfa Pendular, Intercidades, Suburbanos e Regional. A Estação Nova (Coimbra A) faz ligação com o Ramal da Lousã, também conhecido como Linha de Arganil. A Estação Velha (Coimbra B) é uma plataforma que serve também, adicionalmente a Linha do Norte. Independentemente da zona por onde circular - a Baixa ou a Zona Histórica (Alta), Celas ou a Praça da República – os autocarros (SMTUC) são uma boa opção, se não for amante de exercício. Inicialmente povoado pré-histórico, foi uma cidade importante no centro do território lusitano tanto no período medieval como no período romano. Dessa época subsiste o legado de Conímbriga, uma das maiores povoações romanas de que há vestígios em terras lusas, a pouco mais de 15 km: um desvio que vale apena considerar.